SILÊNCIO

[Norah Jones – Come away with me]

 

http://sites.google.com/site/missabdulhamid/Home/ComeAwaywithMe.mp3?attredirects=0

 

 

“Gastei uma hora pensando em um verso que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro inquieto, vivo (…) e não quer sair.
Mas a poesia deste momento inunda minha vida inteira.”
(Coisas de Carlos)

 

 

DEBRUÇOU-SE SOBRE A SACADA E DEIXOU o vento bater em seu rosto. Aquele vento conhecido que sempre lhe embalava os pensamentos – e também o coração – parecia estar mais frio naquela noite, um tanto menos confortável. Ousou, com receio, fechar os olhos e deixar que bagunçasse seus cabelos… E naquele momento, sua vontade foi se transportar para aquele lugar secreto que construira para si.

 

Sentar em frente àquele casebre na praia, fazer da areia macia e gelada seu tapete e, observar a lua aparecer sorrindo no céu assim como o gato de Alice; sentar observando o som hipnotizante das ondas que se quebravam, observar os tocheiros ao longe com o vento insistindo em bater-lhe os cabelos, e sua companhia se restringir àquela canequinha verde, cheia até o topo do chocolate quente que a fazia se sentir em casa.

 

Aquela praia não somente trazia boas lembranças, como também a confortava e a ajudava esquecer de seus temores. A ressaca do mar e aquele barulho repetido pareciam estar ali apenas para carregar os problemas e levá-los para o fundo do misterioso mar negro. Ainda sentada, virou e olhando para dentro do chalé viu suas coisas ainda esparramadas sobre a mesa, à sua espera. Não se importou. Recostou a cabeça naquela parede fria e fitou o céu bordado de cristais. Respirou fundo, tragando aquele cheiro misto da água salgada e da areia…Quisera ela estar ali para sempre, sentir aquela vida em seus pulmões, a natureza muda e compreensiva. Ela mesma, menos ela.

 

Abriu os olhos marejados com medo de ainda estar debruçada na sacada. Não conseguiu conter as lágrimas que caíam quentes e repetidas, assim como o silêncio de suas páginas quietas e empoeiradas, assim como o vazio de sua canequinha outrora tão quente.

 

E aquele silêncio perturbador das páginas vazias. Folhear aquela caderneta antes tão abarrotada de letras espremidas, hoje tão…silenciosa. 

Anúncios
This entry was posted in Blogroll by Tâmara Abdulhamid. Bookmark the permalink.

About Tâmara Abdulhamid

palestina, engenheira e blogueira… …mas, é muito injusto uma vida inteira para viver e me definir por linhas. Por isso, espalho pedaços de mim em vocês, nas linhas, naquilo que invento e chamo de amor. Por isso existe o café. Para que você entre, me abrace, se aconchegue, converse e deixe o amor acontecer. De qualquer jeito, do jeito que couber, do jeito que for.

26 thoughts on “SILÊNCIO

  1. È íncrivel que mesmo sem ter nada a dizer, ainda fala… Essa sua maneira de falar aquilo que é difícil de se entender, me faz ir além, além da complexidade do homem. Me faz… Ah tâm, sinceramente não sei dizer, depois de várias tentativas não sei dizer…

  2. Prezado SCCPBT,

    Meu silêncio é um apenas pouco triste. Mas, principalmente, um momento de compartilhar de mim, de querer fugir do silêncio…em silêncio.

    Quanto ao seu silêncio..não penso haver necessidade de mudar de login, pois como eu já te disse, onde a paz, perseverança e força, há também fraqueza e desânimo. Ninguém está bem o tempo todo, nem existe tal coisa…Pelo contrário, os nossos tropeços são oportunidades de a glória de Deus se mostrar poderosamente.

    De fato, todos precisam de ‘Marianas’ e ‘Diogos’ para construírem para si um refúgio aconchegante,com chocolate quente em momentos de ventos frios e cortantes. E para os momentos em que o sol resolve brilhar, para tomar um pouco de sorvete e ter quem ria do bigode de chocolate..Faz bem em mantê-la…

    Para mim, a tristeza é poética. A alegria não compoe tantos versos bons quanto os tristes. Obrigada pelos elogios aos meus sentimentos…

    Mastigue bem sua queixa e descubra a raiz dela…assim poderá eliminá-la…

    Obrigada..pode contar comigo mesmo quando precisar…Escutarei e o ajudarei, mesmo em silêncio…

    Grande abraço.

  3. Tâm….

    encontro-me do mesmo jeito.
    Não sei se o seu silêncio é triste, mas o meu é um bocado. Acho que a vida novamente me trouxe algumas decepções e tenho que contornar cada uma delas para voltar a respirar tranquilamente.
    Aliás… mudei até meu login para não pegar mal sobre a alegria, coragem e perseverança que escrevo.
    Acho que vou dar um tempo em tudo. Vou dar um tempo no meu blog, vou dar um tempo em outras coisas. Exceto na Mariana. Ela me entende e me ajuda, mesmo nestes momentos negros.
    Queria dizer que compartilho deste silêncio e digo como R. Russo “tua tristeza é tão exata; e hoje em dia é tão bonita.”
    Sua tristeza tem charme, tem gosto de café e de Bay Smooth!
    Ainda tento trazer exatidão à minha queixa!
    Btw, espero que melhore!
    Muito obrigado pela amizade e pelas orações!
    Apesar de nos vermos apenas 1 vez a cada 5 anos, saiba que é como uma irmã para mim!
    De verdade.
    Abraços!

  4. Querida Sofia,

    prazeroso e aconchegante é poder sentir sua docilidade e amizade depois de tantos anos, e apesar de tanta distância e correria..!

    vamos sim, sentar, tomar um chocolatezinho MAS sem silêncio! 🙂 Vamos fofocar, rir, e morrer de chorar com aqueles filmes nossos de menininhas apaixonadas! hahaha 😀

    Muitas saudades…
    Que você também seja renovada…

    Beijo grande!

  5. Tam!
    lindo, lindo, lindo!
    e de uma sensibilidade tão aconchegante…!
    em breve espero q estejamos juntas para encher as canequinhas de chocolate quente. E deixar o silêncio para outros momentos…!ele é sempre bem-vindo, mas há muito o q fofocar! =D
    te desejo noites de sono tranquilo e reparador….um grande beijo!
    Sofia

  6. Ronaud,

    Esse céu bordado acima de mim me lembra quem eu sou – uma eterna admiradora dessa criação majestosa, e de seu Criador, atista magnífico!

    Você então tem o privilégio de contemplar esse cenário que eu freqüento em pensamento em meus momentos de silêncio…É bom desfrutar de paisagens silenciosas que nos deixam cara a cara conosco…É bom fugir de onde estamos em momentos onde o silêncio é o melhor texto…

    Obrigada pelas palavras!

    Abraços,
    miss

  7. Sempre que posso me dou o prazer de observar o “céu bordado de cristais” que você soube descrever majestosamente em tão poucas palavras. Não posso deixar de dizer que moro próximo ao mar e sempre que dá dou um pulinho lá pra sentir de perto todo esse astral que você nos traz tão “silenciosamente”. Como sempre, lindo!

  8. Querida Professora Mírian,

    Nem com um texto eu poderia conseguir expressar a alegria e honra de receber um comentário como o seu.

    Dizem (e,eu concordo) que a beleza está nos olhos de quem vê. E, com certeza o que você percebeu está nada mais do que em você mesma…porque só uma pessoa sensível, admirável e carinhosa pode observar tais características em outro lugar…

    Continue sempre visitando meu blog, pois para mim será uma honra.

    Obrigada.

    Beijos

  9. Querida Tãmara,

    Que alma pura! Que sentimentos transparentes! Você nos encanta com sua simpatia, com seu dom da palavra e também com seus gestos carinhosos. Que Deus continue iluminando você e com certeza as pessoas que tem o privilégio de conviver com uma pessoa tão sensível. O seu sofrimento enriquece sual alma, obrigada por compartilhar esses sentimentos conosco.

    Parabéns! Te admiro muito. Você é linda!

    Beijos,
    Mírian

  10. Eric,

    é verdade..precisamos de uma pausa, nem que seja em fantasia, em surrealidade, em ilusão…mas umas pausa que nos faça esquecer um pouco os bitolismos, os pressionismos e tudos os outros ismos que insistem em nos fzer perder a cabeça…

    Obrigada pelas palavras e pela visita!
    Grande abraço,

    miss

  11. Acho que todos nós precisamos de momentos em que possamos aliviar a carga dos nossos problemas. Tantos problemas, tantos compromissos, tantas urgências… Momentos assim, tão bem representados neste cenário onde parece até que estamos fazendo parte dele. Momentos como este, em silêncio, com esta leitura tão agradável. Obrigado por nos proporcionar este momento de reflexão.
    Eric.

  12. Querida Solange,

    a Palavra de Deus diz que a boca fala do que está cheio o coração…devo então dizer isso a você…só coisas boas, como as que escreveu para mim poderiam sair de um coração que pensa a mesma coisa..Você tem um coração de ouro e muito grande. Sorte minha que nós estamos mais próximas..!

    Obrigada por tudo…
    Te amo…

  13. uma pessoa linda que possui um coração inundado de tantas coisas boas só pode ter produções lindas. Cada leitura é uma aproximação, é conhecimento novo, é uma grata surpresa e a tristeza de não ter compartilhado mais enquanto estávamos juntas…
    mas agora estamos mais perto, não é estranho?
    Te amo,
    Solange

  14. Rau,

    No cenário do texto estou sozinha, e me transporto para um outro lugar sozinha, que é para sofrer menos o que a distância me causa.
    O interessante é você ter percebido além das linhas que mesmo sozinha, você está comigo aqui. Sua presença, as lembranças de você, suas fotos na parede, as memória vivas – quase falantes – me fazem ter a mesma certeza que você tem – mesmo longe, perto; mesmo frio, o calor que só sua presença traz; mesmo sozinha, jamais só.

    Muito obrigada pelo que você escreveu. Eu não esperava. E me fez um bem muito grande…

    Te amo…
    e precisava que você estivesse aqui hoje…

  15. O primeiro parágrafo me levou a sentar ao seu lado, quieto, observando você e seus devaneios; imaginando o que vc poderia estar fazendo ali; querendo compartilhar de seu sonho, de sua vida. Enfim, o primeiro parágrafo lembrou-me você, seu jeito, seu ser.
    Seu texto me fez ver que, apesar de estarmos separados pela distância física, sempre me vejo ao seu lado, sob aquele vento conhecido, matando nossa saudade de irmãos, de amigos, de eternos companheiros. Hoje vi, portanto, que em meus devaneios você sempre está ali, aqui, pra sempre do meu lado.

    Te amo, Tâm.

    Sua escrita me faz reviver.

  16. Mamãe,

    um comentário assim só poderia ser feito pela pessoa que mais me conhece nesse mundo..!

    quaisquer elogios retorno a você – inspiração e geração de qualquer mérito…

    Obrigada…

    Te amo demais

    Beijos da nam 😀

  17. Nam,

    uns falam o que sentem, outros não têm pra quem falar,mas somente os que sabem o que sentem conseguem se expressar. A escrita é mais expressiva que as palavras quando é feita com paixão, e isso é o que vejo nos seus textos. Você não escreve por escrever, há vida naquilo que escreve.

    Parabéns de novo, pequena !
    Da sulaia ,só ‘pavocê’…hehehe

    Beijos da mamãe

  18. Nunca vi alguem descrever tão bem o silêncio.
    eu consegui entrar no cenário silencioso que voce promoveu.

    gostei da assinatura,personalizou bastante o texto.

    Para´bens
    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s